A solidão da mulher negra

O celibato definitivo é a situação em que se encontram mulheres negras que não se casam. De acordo com o uma pesquisa do IBGE, 52,52% das mulheres negras no Brasil não são casadas, ou seja, se encontram no celibato definitivo. Mas qual seria o motivo disso acontecer? Por que ao mesmo tempo que elas são sexualizadas, as estatísticas nos mostram que mais de 50% delas não têm uma vida matrimonial? Mulheres negras não merecem ser amadas?

Desde o período colonial, as mulheres negras têm seus corpos objetificados e sexualizados. Tanto que a miscigenação do nosso país foi fruto de estupros contra mulheres escravas negras e indígenas, e até hoje são as mais violentadas. Ou seja, a objetificação da mulher negra tem todo um contexto histórico, o que resultou nas ideias de que elas não devem ser amadas, são inferiores a mulheres brancas e de que só servem para ter relações sexuais, não para casar. Podemos observar isso analisando que grande parte dos homens negros, quando ascendem socialmente, acabam se casando com mulheres brancas, justamente porque eles absorveram esses valores negativos que foram dados às mulheres negras.

O protagonismo das mulheres brancas sempre ocorreu nas novelas, nos filmes de romance, nas capas de revistas, nos outdoors, além de serem o padrão de beleza da sociedade. A falta de representatividade juntamente com a ideia de inferioridade das mulheres negras fez e faz com que elas mesmas não se sintam merecedoras de serem amadas. Desde criança, não se veem representadas na televisão, nas suas próprias bonecas; na adolescência, são completamente ignoradas por meninos (porque eles já acreditam que se relacionarem com meninas brancas é melhor para eles); e assim, quando são adultas, a maioria não consegue se casar. Não que para uma mulher ser feliz seja necessário um casamento, mas, caso ela queira, sua cor de pele não deveria ser o motivo de não encontrar um marido.

Não é uma escolha das mulheres negras não se casarem, nem culpa dos homens negros escolherem mulheres brancas para suas vidas. Isso tudo é culpa de uma sociedade onde o racismo está enraizado. As mulheres negras precisam entender que são bonitas, fortes, inteligentes, autossuficientes e poderosas. Para isso, elas precisam se sentir representadas, desde sempre. Desde personagens de desenhos animados a donas de empresas. Essa estrutura racista precisa ser destruída. Necessitamos de uma cultura inclusiva, que faça as mulheres negras se sentirem importantes e que acabe com todos os estereótipos que foram designados a elas. Necessitamos de personagens negras nos desenhos, bonecas negras, escritoras, professoras, cantoras, artistas, engenheiras, jornalistas… Representatividade importa, porque faz com que todos entendam que elas também são pessoas capacitadas, e com certeza passariam a ser mais respeitadas. Mulheres negras merecem e devem ser respeitadas e amadas.

Laís Gabriela Reis do Nascimento Info E

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *