ZooTopia: Como explicar racismo para crianças.

Nunca duvidei muito das capacidades dos estúdios Pixar e, mesmo tendo sua grande depressão (Let it go, Let it go), reacendeu seu verdadeiro espírito com Divertida Mente (falar de psiquiatria e depressão com bonequinhos de pelúcia não é fácil, meus caros) e o que dizer de O Bom Dinossauro (apelativo sentimentalmente, talvez, mas continua sendo um filme encantador).

Aqueles que assistirem ao filme Zootopia com olhos críticos, dificilmente, vão se decepcionar, mas antes de assistir recomendo que leiam sobre Darwinismo Social, um pouco sobre a política atual e assistam a Breaking Bad.  O filme conta a história de uma coelha (Judy) que resolve se aventurar e sonhar na cidade de Zootopia, onde todos os animais (presas e predadores) vivem em paz. Tudo bem e tudo bom, até então tudo parece ter um plot comum de um filme infantil. Mas meus caros, a especialidade da Pixar é fazer filmes para crianças e adultos.

Cria-se um estereótipo de selvageria entre os predadores. Todas as presas (civilizadas e tão obedientes às regras sociais) sentem-se finalmente em paz, já que todos evoluíram e aprenderam o que é ser racional, principalmente, os predadores tão selvagens e injustos. Fica mais do que evidente o preconceito que existe entre presas e predadores, vemos sempre os predadores andando sozinhos e as presas sempre em bando. Seria então, um preconceito velado entre presas e predadores? Os únicos atos de ódio que vemos são das presas dirigidas aos predadores e ao contrário do pensamento imposto no filme, aqueles que realmente sofrem com as imposições sociais são os predadores.

Fica mais fácil assim, substitua a palavra presa por brancos e predadores por negros…

Preciso dizer algo mais? Claro!

Sinais que ninguém percebeu: O chefe da máfia (que controla todos aqueles ursos polares) é uma presa, a força policial é comandada em sua maioria por presas, qualquer lugar que vemos, as presas são maioria. Os dançarinos da Gazelle são todos predadores, que coisa não?. Para finalizar, um predador é o prefeito de Zootopia (quem é o atual presidente dos EUA?).

Claro, que toda essa desigualdade chega no seu ápice quando a nossa protagonista (uma coelha, no feminino) é a única fêmea na polícia e o atendente da bancada (com tendências um tanto quanto purpurinadas) tem a função mais rebaixada dentro da força policial. Ainda assim, vários outros trocadilhos (só coelhos podem chamar coelhos de fofos)… Preciso falar do setor burocrático? A melhor piada do filme, só digo isso. E quando ao Heisemberg… Pois é, impressionem-se, meus caros.

Zootopia também nos ensina muito sobre respeito e igualdade, para esse filme, dou uma nota 9,5 que surpreende aos olhos atentos e para os que procuram diversão atendem também a demanda.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *