Sobre estrelas

Viver é um processo que envolve luz. Nós temos momentos em que a vida está durante o dia, com plena luz do sol. Ou seja, tudo dá certo. Navegamos a favor da correnteza. Nosso barco flui perfeitamente. Mas como somos imperfeitos e a vida também é um conjunto de movimentos inéditos e surpreendentes, a noite chega. Porém, apesar de ela simbolizar tempos difíceis, eu digo: sejamos, pois, estrelas.

Por uma simples observação, nota-se que as estrelas são pontos luminosos no céu à noite. A questão é que, comparadas ao grande cenário por detrás delas, elas são realmente minúsculas. Entretanto, é exatamente esse contraste, essa antítese, que as torna belas. O céu noturno, por si só, não passa de um fundo inexpressivo. Mas a simples presença desses pontinhos de luz, faz com que ele fique estonteantemente belo.

Viu como a beleza está no detalhe, nas coisas pequenas da vida? O belo é compreender que o que realmente vale não é algo concreto, como o dinheiro. Mas sim abstrato, como a alegria. Já disse Antoine de Saint-Exupéry: “O essencial é invisível aos olhos”. As coisas que importam são aquelas duradouras e simples. O amor, por exemplo, é um sentimento perfeito que dura uma vida toda e vai até além dela, quando verdadeiro. Não precisa de um manual para se amar, basta querer o melhor para o outro. É simples, mas não simplório.

Outra coisa: as estrelas têm todas as razões do mundo para ceder e simplesmente serem engolidas pelo mar trevoso que as cerca. Porém, mesmo estando diante de algo tão avassalador, elas brilham. Sem parar. Simples. Belas. Inspiradoras.

Na vida, muitas vezes estamos diante de algo grande, difícil. E escolhemos parar, reclamar. Um mecanismo confortável, mas sem sentido algum. Deveríamos observar as estrelas e enxergar que, apesar das dificuldades, é nossa função brilhar incessantemente. Fomos feitos para projetar luz e podemos fazê-lo sempre que desejarmos.

Claro que às vezes as nuvens trazem a tempestade e as estrelas são, então, encobertas. Contudo, é apenas uma questão de tempo para que a chuva acalme e lá estão elas novamente, sorrindo para o mundo.

Ser estrela na vida é assumir uma posição de coragem e esperança. É não temer. Amar profunda e incondicionalmente. Acender a luz. Faça chuva, faça sol. É ser feliz, independente de ser dia ou noite. Por isso, retomo a fala inicial, propondo: Aproveite os momentos de sol e quando vier a noite, não deixe de brilhar. Como ouvi certa feita, precisamos ser como essas gotas de esperança no infinito. Nada além disso.

Sergio Lima Dias Junior

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *