Redes Sociais: ampulheta virtual

A qualquer momento alguém pode acessar a internet através de um dispositivo móvel, seja um smartphone, um tablet, um notebook ou outro aparelho similar. A maioria dos acessos feitos se direcionam às redes sociais. Ninguém é capaz de resistir a uma checada básica para se inteirar do que está em alta. O problema existe quando essas checadas acabam se tornando corriqueiras e tomam mais tempo do que deveriam.

A população brasileira é a segunda no mundo que passa mais tempo nas redes sociais. Segundo um estudo feito pela We are Social são cerca de três horas diárias gastas na internet com essa finalidade. O pior é que, na maioria das vezes, o período de utilização desses veículos é gasto com conteúdos completamente insignificantes que dispensam a atenção que lhes é dada.

Grande parte das pessoas costuma acessar as redes sociais várias vezes durante o dia. E em diversas ocasiões, o que deveria ser uma “olhadinha de cinco minutos” acaba se expandindo consideravelmente, pois quando se está na frente de uma tela, é normal que a noção de tempo seja perdida, afinal, muitas vezes, estar conectado à internet é mais agradável do que estar realizando outro afazer. Como consequência, o período gasto nessas mídias acaba tomando o espaço de outras tarefas básicas ou acaba influenciando negativamente no modo como são realizadas. Além disso, cometer excessos desse tipo  acaba interferindo diretamente na vida das pessoas, desse modo as relações entre elas acabam se tornando extremamente mecanizadas, pois o que deveria ser investido em socialização acaba sendo desperdiçado em isolamento.

Um agravante de se utilizar parte majoritária do cotidiano estando conectado a esses meios é o vício. Ele se evidencia a partir do momento em que o usuário se torna dependente deles e perde o controle de si mesmo afetando não só a ele, mas também aos demais que o cercam. Pois são estes indivíduos que realmente têm noção do ser que está por trás do dispositivo e o tratam como alguém tangível e não apenas como mais um entre milhares.

O ponto principal para o combate e a prevenção de vícios desse tipo é a consciência. A mesma que deve ser utilizada para compreender que o tempo deve ser bem distribuído, de modo que  as redes sociais não tomem a posição de outras coisas mais importantes. Um modo de fazer uso mais correto das redes sociais é avaliando o nível de relevância dos conteúdos acessados, assim, abdicando de mídias irrelevantes que caracterizam desperdício de tempo. É fundamental que a conexão com as mídias sociais ocorra em momentos de ociosidade, de forma que não prejudique outras tarefas e compromissos nem comprometa a qualidade de vida que se leva.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *