Que mundo é esse?

Que mundo é esse?
Não sei como chamar o fenômeno atual da sociedade humana. Já não creio que o mundo líquido, proposto por Zygmunt Bauman ainda se aplique; as pessoas não estão apenas inconstantes, mas também irracionais. O mundo que era líquido, evaporou toda a expressão de cordialidade e humanidade das pessoas.
Recentemente, pudemos observar o fenômeno Greta Thunberg, uma jovem de dezesseis anos que leva sua opinião a público, na esperança de que algo seja feito em relação à situação climática pela qual passamos; sim, é real, estamos a beira de um abismo, do qual não conseguiremos sair caso caiamos, e ninguém parece dar a mínima para a situação, preocupam-se com suas vidas luxuosas, com seu dinheiro a perder de vista, mas nada fazem em relação a isso, pelo contrário, muitos disseram muitas coisas a respeito de Greta, que demonstram que o mundo perdeu seu senso de humanidade. Não bastasse não se importarem com tudo que está acontecendo, rebaixaram a pobre garota a um nível quase sub-humano, ao qual ninguém deveria estar; tudo isso, pelo simples fato de não concordarem com ela.
A intolerância reina, mas os intolerantes devem ser intoleráveis. A situação não pode continuar como está. Quem somos nós? O que o ser humano, considerado o ser dotado de inteligência, se tornou? Simples fantoches de preconceitos socialmente aceitos. Aquele que ousar discordar é submetido a diversas acusações sem embasamento. Ouse falar algo contra ou a favor do governo, e terá milhares querendo sua cabeça. Exponha sua opinião e receba ameaças.

Que mundo é esse, onde seres dotados de inteligência agem como se não a tivessem, onde seres dotados de uma moral, simplesmente a ignoram, onde ser diferente é uma anomalia? Simplesmente, gostaria de saber o que nos tornamos, por que perdemos a essência de ser um humano?
O mundo anômico, no qual vivemos, tornou-se o padrão “aceitável”, mas isso não pode se manter, é insustentável tal situação. Ao tentar destruir o próximo, cada indivíduo anômico está trabalhando em sua própria destruição, com um efeito que quase sempre se mostra uma faca de dois gumes.
Pudemos ver, no Rock in Rio, um cantor falando sobre o amor ao próximo, mas esse mesmo, sem cerimônias, crucifica a tudo e a todos. Que amor ao próximo seletivo é esse? A definição de amor foi deturpada ou eu enlouqueci?
Novamente, pergunto, e a cada dia me questiono, que mundo é esse? Tudo isso não pode ser real, mas também não pode ser um pesadelo, porque pesadelos passam, mas isso parece nunca acabar.

Minha mente a cada momento trabalha
Tentando entender os motivos que
Levam alguém a viver
De tal forma que matam milhares
Sem ninguém morrer.
Me diga, que mundo é esse?
Não sei o que dizer,
Não sei o que fazer,
Cresci aprendendo que o amor
É a solução, em um mundo que
O “amor” parece destruição
Dizem amar, mas qual o significado
Dessa estranha palavra, que
Aos meus ouvidos soa irônica,
Insensata, irreal?

Que mundo é esse?

 

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *