Opostamente atraído pela pessoa errada

Já escutei milhares de vezes: você vai encontrar a pessoa certa. Sempre esperei. E, por sorte, não encontrei. Sim, você leu corretamente. Não estou apaixonado pela pessoa certa. Muito menos semelhante. Na verdade, a moça é o oposto. Nossa! Que má sorte a minha, não é? Pelo contrário. Quando se apaixona pela pessoa errada, têm-se algumas vantagens. Se ela for o seu oposto ainda, bem melhor. Mas por que exatamente? Bom. Amar alguém que é a sua cópia pode ser uma experiência fantástica, tanto quanto desastrosa. E amar alguém que é o seu oposto, é desafiador. Porque não existe monotonia. Porque não é algo morno. Ou está muito frio, ou quente demais. Porque a cada dia junto, surge algo novo. E relacionamentos que se renovam têm tudo para dar certo. Sempre dá para descobrir uma novidade do outro. Não fica aquela coisa chata ou parada. É como músculo: se você move, não atrofia!

O bom da pessoa errada é que ela não faz o que você espera. Surpreende todas as vezes. E é interessante demais perceber as diferentes visões e jeitos de se encarar a vida, já que estar ao lado do oposto é um aprendizado contínuo. Um é abstrato. O outro concreto. E nessa mistura de antíteses, produzem-se sentimentos realmente fortes. Alguns indescritíveis e que, ao mesmo tempo, podem fazer rir ou chorar.

De vez em quando, por exemplo, pegamo-nos pensando justo naquela determinada pessoa. Do nada, nossos pensamentos evaporam e só sobra a imagem de fulana (o). Ficamos admirando feito bobos. Totalmente entregues ao desconhecido que se deseja veementemente conhecer.

Além disso, essa pessoa é o que a gente precisa. Às vezes, é uma dose extra de paixão aqui ou ali, que deixa arrepiado. Às vezes, é um pouco de amor para acalmar a hora difícil. Às vezes, são os dois em um só. Sentimentos e sensações juntos. Não sei como, mas esse alguém normalmente sabe do que necessitamos. E como eu gosto de dizer: Algumas coisas não tem explicação. Acho que é por isso que são tão boas.

Complicar muito dá problema. Sejamos simplesmente simples. Não simplórios. E tem uma grande diferença nisso aí, viu? Ser opostamente atraído pela pessoa errada é isso. Não importa quando, como, nem o porquê. Basta estar junto. Mesmo se for por um segundo e parafraseando Vinícius de Moraes: “que ele seja infinito, enquanto dure”.

1 comentário em “Opostamente atraído pela pessoa errada”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *