Leitor!

Eu poderia chamar-me de poeta,
Mas tamanha seria minha arrogância,
Comparar meus pobres versos,
A tantos outros que viveram e morreram
Em favor de filosofar em trechos,
Caligrafar sentimentos,
Amar através das palavras.
Queria eu ter tal talento,
Enquanto isso, me vejo no relento,
Existindo através de autores que não eu.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *