] insira o título aqui XIII [

AVISO: SE COM SONO, NÃO ESCREVA.Antes de qualquer coisa, espero que não tenha nada contra textos sinceros, realistas e inúteis. Assim se descreve o que lhes escrevo. Textos são atemporais, certo? Errado. Vamos falar de passado; nesse caso, meu presente. São 02:12 da manhã de um pré feriado e estou acordada e não, não é o que você está pensando. Não estou dançando e bebendo suco de laranja com meus amigos, usando Facebook ou qualquer outra rede social e, infelizmente, não estou assistindo o último episódio de uma das melhores séries que já vi e que foi cancelada – por isso ainda não vi o episódio, é doloroso demais – ; se quer saber porque tudo isso está uma confusão de pontos e palavras é porque acabei um trabalho agora.
Mas por que não escrever amanhã? Essa semana não tem aula, com certeza sei disso, mas como parar meus dedos congelados e minha cabeça sofrendo horrores de sono é um mistério. Uma coisa sobre mim é que quando eu tenho que escrever, eu tenho que escrever; se eu não quiser, não espere o melhor de mim.
Sabe que a sensação que tenho é de não ter controle sobre mim mesma? Isso não é nada bom, vou explicar. Escrevendo assim esqueço umas coisinhas básicas sobre escrever um texto como onde a vírgula deve ficar, mas isso importa? Para os leitores que não sabem, aí vai o maior segredo de todos, nossos textos são revisados. Cada linha, cada ponto. Sabe quando você fez aquele desenho quando era pequeno e esperou sua mãe falar que aqueles passarinhos horrorosos eram perfeitos? É praticamente assim que funciona. Eu adoro ser lida, mas nunca tentei com sintomas de sono crônico, aliás já são 02:25. Escrevo rápido? Não faço ideia; perdi completamente a noção do tempo.
Se alguém quiser saber o motivo desse texto existir, contarei com prazer. Aliás quem precisa dormir? Meus dedinhos escreveram uma coisa nova hoje; quem diria que ela mereceria um título? Sei que a série tem título mas não é a mesma coisa, sabe? Delirando, é o que estou fazendo. Amanhã vou revisar esse texto – meu amanhã, claro – mas sinto que se o eu do futuro mudar alguma coisa, vai mudar tudo e vai ser uma pessoa sensata e não alguém sob efeito do medicinal sono.
Admiro vocês que leem isso. Geralmente, eu leio romance água com açúcar, um ou dois livros que me fazem parecer inteligente sabe – todo mundo faz isso? – e algumas fantasias, raras fantasias, mas é vocês quem eu admiro. Amar a leitura a ponto de ler as “confissões de uma adolescente ‘ensonada’ ”. Daria um péssimo título.
Estou me despedaçando, espero escrever algo melhor amanhã – realmente espero – e como esses tracinhos são divertidos, adorei experimentar. Aos que leram até aqui: obrigada por serem meus amigos, vocês tem um cantinho no meu coração. Aos que não leram e não chegaram até aqui: bons sonhos, pois sei que foram dormir. Aliás era o que eu devia estar fazendo há muito tempo. Boa noite!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *