Inside-Out: Os Dois Lados da Lata de Sardinha

Pelo mais tardar que seja, não perdemos um lance. Primeiramente, gostaria de pedir desculpa aos nossos queridos leitores, apesar de ter demorado (burocracias e afins) trazemos a vocês um tête-à-téte de todo o ocorrido. Infelizmente, melhorias não serão vistas de imediato, mas convidamos a todos para reivindicar seus direitos (de forma organizada) no debate que ocorrerá no dia 14/06 (vulgarmente conhecido como terça-feira) no salão pedagógico às 11:30h.

O incidente pelo redator Gabriel Kim

O inesperado aconteceu, depois de muita desatenção, no dia 29 de Abril, um ônibus causou um incidente no único ponto de parada dentro do IF. Os acontecimentos começam pela falta de atenção tão pontuada pelo atual blog e página do facebook em torno das portas defeituosas dos ônibus, somando ao ocorrido a imprudência dos alunos que se acumulam sem ordem e por fim, completando a cena caótica, o nosso digníssimo herói que em um ato de extrema coragem e ignorância, pulou por entre as portas abertas do ônibus. O resultado, alunos atingidos pelo ônibus e pelos pés voadores do aluno, culpas sendo associadas a pessoas que não deveriam se preocupar com o assunto e uma epidemia de “eu não vi nada” vinda de várias partes.

Em testemunhos coletados, apenas um aluno assumiu a falta de cuidados dos discentes em sua rotineira bagunça para embarcar na lata de sardinha no ônibus. O desrespeito pela faixa de limites para embarque parece ser algo que não tem relevância tanto para os alunos quanto para o motorista do ônibus. Bem, o incidente passou a existir neste momento, o respeito parece ter ficado sob as cobertas. Diga-se de passagem, que a imprudência da viação não é anulada pela falta de atenção da motorista.

A cobradora afirma que são constantes os pedidos para que a escola regularize a confusão no ponto de embarque, da mesma forma, essas confusões não são pontuais, são diárias. Os alunos (a parte incomodada) dizem que é dever dos “guardinhas” organizar o embarque dos alunos. Enquanto da parte deles, todo o setor de proteção ao patrimônio é terceirizado, fazendo então, desse incidente um poema. Os alunos que dizem que os guardinhas têm que corrigir, que dizem que é dever da escola corrigir, que diz que a viação São Benedito tem que corrigir, que no fim nada é corrigido. No fim, essa ironia é mais uma piada que segue para uma possível reviravolta trágica.

O incidente pelo redator Sergio Dias

Alguns dos envolvidos foram para uma sala. Fechados lá por longos minutos, conversam com o coordenador. Em entrevista, ele disse que tomou conhecimento dos fatos e vê como solução a conscientização das duas partes (alunos e viação). É preciso pensar em um alternativa. Até então, a escola somente reclamou na empresa, mas é preciso se adequar.

É horrível assistir ao descaso dessa empresa com relação aos seus clientes. A escola, com o intuito de proteger e defender seus alunos, busca soluções. Reclamaram. Os efeitos surgem, mas desaparecem logo em seguida. Dessa maneira, a situação vai de mal a pior. Episódios como a perda de freio, discussões e outros tantos estão acontecendo com maior frequência. A revolta dos alunos gera atitudes impensáveis. Portanto, para colocar um ponto final nesse enredo desastroso, é importante que todos se modifiquem, inclusive o Instituto.

1 comentário em “Inside-Out: Os Dois Lados da Lata de Sardinha”

  1. Vanessa Dias

    Alunos, no dia do debate, não deixem de comentar sobre a alta velocidade com que andam os ônibus na estradinha de acesso ao IF. Como todos sabem, a estrada é estreita, esburacada, escorregadia em vários pontos, muitas vezes com acúmulo de água, dificultando quando cruzamos com outros carros, muito pior quando cruzamos com os ônibus.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *