Greve dos Caminhoneiros chega a Machado

O Brasil é referência quando falam em combustível, mas isso vale apenas para as exportações, que não contam com o abuso de taxas do governo. Enquanto isso, os brasileiros pagam preços altíssimos, principalmente na gasolina, combustível mais utilizado pelos carros no país.
Nos últimos 2 anos, desde outubro de 2016 para ser mais exata, a gasolina sofreu cerca de 14 reajustes, alguns quase imperceptíveis, com aumento em uma porcentagem pequena, outros que chegaram a quase 80 centavos de diferença em seu valor. Em julho do ano passado, a Petrobrás anunciou que os reajustes aconteceriam com mais frequência, podendo ser diariamente, variando em até 7%, segundo o G1.
Os impactos dessa exploração têm sido no bolso do povo, fazendo com que alguns quilômetros se tornassem até 3 vezes mais caros. Mas a população brasileira passou por todas essas fases de abuso em um silêncio que me arrisco a dizer, ensurdecedor. Alguma hora alguém teria que bater de frente e exigir uma resposta do Estado. Felizmente, essa hora chegou!
A greve dos caminhoneiros tem causado grandes impactos em apenas 4 dias de movimento. Os postos já não possuem combustível, grandes redes de mercados já não possuem mantimentos suficientes. Aulas foram adiadas e a tendência é aumentar.
A região de Machado já está sem abastecimento desde quarta-feira (23/05). A cidade de Varginha foi a primeira, em seguida, as outras já foram se manifestando e as filas de carros nos auto-postos só cresciam conforme a tarde chegava. Até a noite de quarta-feira, Poço-Fundo, São João da Mata, Espírito Santo do Dourado, Silvianópolis, Alfenas e Campestre já estavam com as portas fechadas e hoje as notícias continuam chegando.
Segunda a Gazeta Machadense, na tarde de quinta-feira, os caminhoneiros da cidade iriam aderir ao movimento e parar o trevo da cidade sentido Poços de Caldas. Alguns dos manifestantes dizem que não passarão nenhum veículo e as vans de transporte da cidade já estão participando, parando a BR 267.
A classe trabalhadora está mostrando a sua força, já que, sem eles, nenhum setor do país se movimenta. Isso prova que quem move o Brasil é o POVO, tão menosprezado pelo governo. E que agora, o povo não vai parar até que haja um acordo entre Estado e população. Já dizem por aí que agora, o gigante acordou.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *