Esqueça a segurança, seja notório: Heróis negros brasileiros

Muitos sabem que nos livros de histórias a cultura Afro não possui tanta visibilidade, e que muitos fatos históricos são abafados. Bom, se perguntarem a você, quem foi um dos maiores líderes do movimento negro no Brasil? A resposta imediata é Zumbi dos Palmares. Concordo, ele foi sim um dos mais importantes, mas a questão é, só ele foi importante?
Vejamos o exemplo de Dandara, foi uma guerreira que lutou pela liberdade do negro durante toda sua vida, participou das lutas palmarinas (Quilombo de Palmares), liderou homens e mulheres, no entanto, não era aceita na sociedade, por não seguir os padrões de gêneros que eram impostos naquela época, aliás, que são impostos até hoje. Podemos sim dizer que Dandara, uma figura importante na história do Brasil, não é estudada nas escolas devido à grande influência do machismo, uma barreira grande que impede a disseminação dos estudos das guerreiras da nossa história. De forma marcante, Aqualtune, assim como Dandara, entendiam que a liberdade era algo pelo qual se devia lutar não negociar, por isso tanto Dandara quanto Aqualtune lideraram revoltas.
Aqualtune foi uma princesa do reino do Congo, que ficou conhecida por liderar 10 mil homens para proteger seu reino de invasões, sem sucesso na luta,entretanto, ela foi trazida prisioneira para o Brasil e vendida como escrava reprodutora. Podemos dizer que essa venda fez uma grande diferença nos anos seguintes, pois Aqualtune deu à luz a Sabina, mãe de Zumbi, ele mesmo, o Zumbi dos Palmares. Um injustiça que cooperou para o bem, visto que Aqualtune foi peça chave para consolidação do Estado Negro (Quilombo de Palmares).
E, claro, não podia faltar um exemplo de resistência do Movimento Negro no Brasil. Muitos acreditam em mitos certo?! Pois então, iremos mostrar agora um mito, porém real, que foi o Dragão do Mar, o nosso Francisco José de Nascimento. Talvez você  nunca tenha ouvido falar dele, mas já sabemos o porquê né, afinal nossa sociedade gosta de apagar registros de feitos, principalmente, quando relacionado aos negros. Francisco era filho de pescador e, desde pequeno, prestava serviço ao navio Tubarão, que realizava as entregas de recados. Mais tarde, conseguiu ser prático-mor (piloto) da barra do Porto de Fortaleza. Vendo toda aquela situação em que os negros se encontravam, ele se uniu aos jangadeiros da região para realização de um bloqueio do porto, onde desciam os negros que eram tidos como mercadoria no tráfico. Esse feito foi de longe um dos mais importantes, e que exemplificaram a luta abolicionista no Ceará e no Brasil, tanto que o estado foi o primeiro a abolir a escravidão, no ano de 1884. Acho que podemos tirar uma conclusão desde ato, fazer um movimento mais ativista é necessário para mudança. Foi por esse motivo que Francisco ficou conhecido como Dragão do Mar.
Vamos falar de um prodígio? Carolina Maria de Jesus. A pobreza era a sua segunda principal marca, desde cedo, trabalhava para sustentar sua família, logo mudou-se para São Paulo e foi morar na periferia, onde começou a catar lixo para seu sustento, e esse trabalho proporcionou um alívio, pois ela separava papéis e levava para casa para escrever seu cotidiano e suas dificuldades, e, detalhe, ela não tinha nenhuma escolaridade. Além escrever seus desabafos, ela denunciava as situações de desigualdades que os negros sofriam naquela época. Logo foi descoberta por um jornalista que fazia matéria sobre a favela onde Maria de Jesus morava,e após esta descoberta, o jornalista Audálio Dantas levou os escritos de Maria de Jesus para a editora que publicou o primeiro livro dela “Quarto de Despejo”, que vendeu mais de 100 mil exemplares. INCRÍVEL, NÉ? Foi uma das escritoras mais reconhecidas, sabe onde? Aqui no Brasil? Não, mas sim fora do país, especificadamente, em Nova Iorque, tanto que foi incluída na Antologia de Escritoras Negras (coleção de trabalhos literários), publicada em 1980 pela Random House que é uma das principais editoras em língua inglesa do mundo.
Como percebemos, os negros sempre estiveram um degrau abaixo do que os brancos, poucas histórias a respeito foram registradas, e nos poucos casos relatados, tenta-se omitir a origem racial e chegam até a mudar a cor dos atuantes, de tal forma que muitos, mesmo estudando sobre determinadas personalidades negras brasileiras, se deparam com aquela famosa frase “ nossa, ele era negro? Eu achava que ele era branco. ” Como fizeram com Machado de Assis e Aleijadinho. Não se deixe enganar, chega de censura, vamos mostrar o que realmente aconteceu na formação do nosso país.
Estes foram alguns dos considerados Heróis para o Povo Negro, que com sua bravura com seu sangue, seu tempo, defenderam os afrodescendentes. Da mesma forma que nós, eles tinham um sonho, a LIBERDADE.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *