Erva Daninha

Como erva daninha

Crescia

Emaranhado em minhas raízes

Crescendo de dentro para fora

Sugando toda a minha alma

Tomou-me os pulsos

E roubou-me a voz

Gritou teu nome

Dolorosamente

Atingindo-me o peito, como uma apunhalada

E questionei-me

Se poderia eu

Amar-te

Nas entrelinhas de meu coração

Sem acreditar que é um veneno

A palavra amor

Que me consome as veias

Bagunça meu peito

Desperta desejo

Me faz clamar por ti

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *