Desejos da paixão – Soneto

Alastro-me, ligeira, pelo teu coração

Ramifico-me, dos pudores desprovida

De toda tua certeza, criarei a dúvida

Engana-te, se pensas que terás razão

 

Podes peregrinar por este vasto mundo

Porém, não encontrarás algo tão profundo

Que leve à tão desesperada perdição

Navegando em turvas águas de ilusão

 

Não penses que sou o agouro de tua vida

Sem mim, ela seria tão somente perdida

E tu vagarias sem rumo e sem cor

 

Peço-te que me aceites sem mais nenhum clamor

Entrega-te para toda essa tentação

Que sentirás prazer em cada sensação

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *