Deixe-me ir

Deixei ir a parte de mim que ainda te queria
Deixei ir através das águas de minha alma, as lembranças às quais eu ainda me agarrava
Deixei ir as palavras que se prendiam em minha garganta e me sufocavam o ar
Deixei ir as esperanças as quais me prendiam pelos pulsos e me faziam prisioneira do passado

Deixei que você partisse, com o meu “Eu te amo”, carregado sobre os ombros

Deixei que você partisse e levasse consigo todos os meus segredos
Deixei que partisse, como um estranho
Que um dia conheci e chamei pelo primeiro nome
E agora peço
Para que
Deixe-me ir

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *