Data reflexiva

Para começar, é importante ressaltar que no dia de hoje, sem dúvidas, estamos vivenciando a história. O embasamento da minha afirmação é simples: a cada ano, datas comemorativas se tornam cada vez mais polêmicas, ainda mais quando se tratam de assuntos como gênero. Veja bem, há algum tempo atrás, o que se via nas redes sociais sobre o dia das mulheres? Somente gifs brilhantes, scraps com flores e frases feitas. No entanto, o que vejo no dia de hoje vai além: vejo pessoas pensantes. E, além disso, atuantes.

O que é o dia das mulheres para você? Um dia para mimar e elogiar a figura feminina, apenas? Por muito tempo foi assim. Porém, hoje, a informação é acessível. Não é apenas a mídia que forma opiniões e personalidades, mas também o convívio e exposição com a diversidade. O senso comum, pela falta de paradigma que a sociedade enfrenta, é cada vez mais confrontado por aqueles que ousam pensar. Por isso, aqueles que conhecem as limitações impostas às mulheres ao longo do tempo, no dia 8 de março, não se calam.

Não é novidade pra ninguém que a mulher, antigamente, tinha direitos limitados. Muitas vezes, estes se restringiam à mesma ficar calada e recolher-se à sua submissão. O homem comanda e rege as leis do lar, mesmo que este seja responsabilidade da submissa. Porém, num certo tempo, no qual os homens foram à guerra, as mulheres passaram a fazer o inédito: empoderaram-se. Assumiram os postos trabalhistas e mostraram eficiência. Nesse momento, a visão de fragilidade e incapacidade da figura feminina caiu por terra.

Após esse pequeno trecho histórico, repito a pergunta: o que é o dia das mulheres para você? Deveria ser um dia de reflexão. Afinal, esse dia representa um grande contexto histórico para o sexo feminino, que iniciou-se opressor e hoje, a opressão encontra-se cada vez mais ameaçada. Atualmente, muitas mulheres conhecem o seu lugar, e ele não é, restritamente, na beirada do fogão, na pia da cozinha ou no tanque de lavar roupas. O lugar da mulher é onde ela quiser. Por isso, ao invés de tratar esse dia apenas como um meio de exaltar características femininas generalizadas, enfrente-o como uma oportunidade de pensar sobre suas atitudes. Afinal, o seu respeito, admiração e empatia com o gênero feminino é algo cotidiano ou se restringe a uma data anual?

A reflexão não é a única coisa que vem à minha mente nessa data. Hoje, meu principal sentimento é resumido a uma palavra: gratidão. Graças a muitas mulheres que desafiaram toda uma maioria machista, que defendiam o ideal de que a inferioridade feminina era incontestável, hoje eu posso ocupar uma vaga escolar e simplesmente estudar. Lutaram por elas mesmas e por todas aquelas que viriam, inclusive eu. Por isso, faço do meu texto uma homenagem a todas essas mulheres que mostraram que é possível mudar o mundo, desde que nos unamos e tenhamos coragem para isso. Hoje, defendo os sonhos que um dia foram delas. Sei que num futuro próximo, outras defenderão os meus.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *