Antes social

Preso no tempo, preso no espaço
Não posso me movimentar,
Nem sequer avançar
Proibido de sair, em um presente eterno

Há dias não vejo o sol
As noites estão mais frias
Motivos de estresse, antes,
Hoje, saudades minhas.

Quem diria, o antissocial
Clamando por uma social.
Uma piada do destino,
Com quem dizia não querer
Com ninguém se envolver.

De tanto se isolarem
Pela natureza foram isolados
Se não morrerem de enfermidade
Morrerão de tédio, então que assim seja.

Perdão escola, professores e amigos
Da escola, não mais reclamarei
Aos professores, jamais maldirei,
E, meus amigos, um rolê, nunca mais recusarei.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *