Lucas Caixeta

Canto de Liberdade

O correr das águas,Em fonte efêmera, suave,Silenciosa, contrastaAos irreverentes pássaros,Piando irreconhecíveis cantos.O verde da pastagem,O branco das margaridas,O breu de meu eu,Tudo em perfeita harmonia,Com gritos vaziosDe uma alma cheia de aflições.Clamo, clamo, e sequer me ouço.Seria o canto do pássaro,Louco pedido de socorro,Que aos nossos ouvidosSoa como redenção de uma vida?

DEFENDA O SUS

“Art. 196. A saúde é direito de todos e dever do Estado, garantido mediante políticas sociais e econômicas que visem à redução do risco de doença e de outros agravos e ao acesso universal e igualitário às ações e serviços para sua promoção, proteção e recuperação.” Constituição Federal de 1988 A Constituição Cidadã, promulgada em 1988, assegura direitos básicos …

DEFENDA O SUS Leia mais »

Paradoxo social

Coração bate, mente que me abate, Sentimentos voam, e nada acham. Vazio existencial, alegria escondida, Crise de identidade, falta de sinceridade. Não sei quem sou, como vou dizer o motivo por que aqui estou? Sem rimas, sem métrica, Porque o mundo é assim, caótico e desesperador, Matador de esperanças e criador de ilusões. Enquanto eu …

Paradoxo social Leia mais »

Canção dos laranjais

Minha terra tem laranjasNo pomar do AlvoradaOs cheques que aqui recebemSão para Michelle ou outros mais Nossas matas têm mais fogoNossa fauna tem mais extinçãoNosso ar tem mais cinzasNossa vida, mais terrores Ao receber, sozinho, à noiteMais dinheiro encontram eles láMinha terra tem laranjasOnde recebe Micheque lá Não permita Deus que morramSem que paguem seus …

Canção dos laranjais Leia mais »

A solidão de um alguém

Era uma vez um alguém sem destinoNa verdade, era mesmo sem sentidoDizia sentir mesmo sem entender.Amava, sem ser amadoOdiava pela reciprocidadeTudo o que sabia era ser negativoSem a coragem de sentir a emoçãoDe viver como há de se viverAgradecendo pelo pouco.Expressando os sentimentos,Para a reciprocidade alcançar,E, talvez, deixar-se ser igualmente amado.Ajudando, mesmo quando muito odiadoEstendendo …

A solidão de um alguém Leia mais »

Poesie-se

A poesia não tem forma,Tem história, tem saboresA poesia é deleite pela manhã,É sinfonia de água corrente,O doce aroma da chuva recente.É o amor de verão em versosÉ a aventura do porvirA alegria de uma utopiaPoesia é imaginar o inimaginávelPoesia é sentir, é viver, é sonharAlém do que a vida tem a proporcionar Poesia é …

Poesie-se Leia mais »

Beija-flor

Beije, beija-florCom todo seu esplendorBeije, beija-florEnquanto ainda és meu amorBeije, beija-florPara que não desfaleça toda a primaveraBeije, beija-florPara que floresça quem sempre de ti necessitouBeije, para que não entre em soporE então, te permitirei voarE voarásE um novo amor encontrarás

Leitor!

Eu poderia chamar-me de poeta,Mas tamanha seria minha arrogância,Comparar meus pobres versos,A tantos outros que viveram e morreramEm favor de filosofar em trechos,Caligrafar sentimentos,Amar através das palavras.Queria eu ter tal talento,Enquanto isso, me vejo no relento,Existindo através de autores que não eu.

Deus ex machina

Inverossimilidade da solução,Falta de uma resoluçãoProblemas maiores que eu,Os quais não posso suportar.Quando será seu apogeu? Máquinas, ideologias, filosofiasTodas, Deus ex machina¹Ineficientes, quanto a tudoPrepotententes, quanto a todosPlacebos funestos, é o que são. Paz, amor, honestidadeÉ o que clamam, tolos.Inexistentes são tais fatores,Em tão corruptas mentes,Tão venenosos pensamentos. Soluções mágicas não existemTão pouco, Deus ex …

Deus ex machina Leia mais »

A brevidade da vida

Vida, o que é a vida?Período de tempo em que o coração ainda palpita?Não, ao meu ver, muito simplista.Então, o que de fato seria?Ah, a vida… ar entrando pelos pulmõesSentimentos e emoções viajando sem interrupções.Viver é muito além do que simplesmente estar vivoÉ a aventura e a incerteza do porvirÉ ter borboletas no estômagoÉ ter …

A brevidade da vida Leia mais »

Redescubra-se

As leituras são parte de quem eu souDesde os gibis de minha infânciaAté as distopias e romances da adolescênciaCada ponto final, de cada texto que já liCompõem hoje o meu “eu”Como ser indivisível de diversos víveresEu não seria eu, sem diversas vezes ter sido o outroOutro, esse, que também só poderia ser vivido uma vezPorque …

Redescubra-se Leia mais »

O Tempo

Ó tempo, cruel e evasivo,Tudo rouba, o que outrora fora,Já não mais sendo.Amizades, coleguismo,Meros desconhecidos.Surrupia os “para sempre”,Que, agora, para sempre se foram.Lembranças de um passado utópico,É o que me resta,Se também estas, não decidir levar.O que mais há de roubar?

Carta aos censores

Caro leitor, O Dicionário Michaelis dá a seguinte definição a palavra censura: “Censuracen·su·raSubstantivo Feminino1 Ação ou efeito de censurar.2 Exame de trabalhos artísticos ou de material de caráter informativo, a fim de filtrar e proibir o que é inconveniente, do ponto de vista ideológico ou moral.” É sabido que há séculos, grupos, governos, ideologias, instituições …

Carta aos censores Leia mais »

Antes social

Preso no tempo, preso no espaçoNão posso me movimentar,Nem sequer avançarProibido de sair, em um presente eterno Há dias não vejo o solAs noites estão mais friasMotivos de estresse, antes,Hoje, saudades minhas. Quem diria, o antissocialClamando por uma social.Uma piada do destino,Com quem dizia não quererCom ninguém se envolver. De tanto se isolaremPela natureza foram …

Antes social Leia mais »

Carta a toda a sociedade

Caro leitor, Eu havia me esquecido dessa série, na verdade, estava querendo me desligar de assuntos polêmicos, porque são exaustivos, e eu queria paz. Contudo, nosso país se encontra em uma época em que pedir paz é ser insensato ao ponto de negar a realidade. Certa vez, Martinho Lutero afirmou que deveríamos buscar “a paz, …

Carta a toda a sociedade Leia mais »

Era uma vez nas Américas

Era uma vez uma história de quase amorEle, apaixonado, ela nem ligavaEle tentava, ela o ignoravaEle implorava, ela pisavaE ainda assim, ele continuava Ela ordenava, ele obedeciaEla o elogiava, ele sorriaEla fingia, ele acreditavaNo fim, ele a perdoava Ele, América do SulQuem sabe, o BrasilEla, a América do Norte,Prepotente e arrogante Ele, fantoche inerteEla manda …

Era uma vez nas Américas Leia mais »

A “gripezinha” mortal de um presidente “atleta”

Em dezembro de 2019, foram registrados os primeiros casos de Covid-19, doença causada pelo vírus Sars-Cov-2, na província de Wuhan, na China. A enfermidade supracitada acomete o sistema respiratório, causando pneumonia, e podendo levar à morte. Em 11 de março de 2020, a Organização Mundial da Saúde declarou pandemia e, emergentemente, os governos mundiais estão …

A “gripezinha” mortal de um presidente “atleta” Leia mais »

Carta a uma sociedade

  Caro leitor, É evidente o empenho dos três poderes em manter nosso país em um marasmo econômico, social e político. E toda essa falta de princípios se estende também a uma parte da população. Nossa sociedade está passando por um processo de normalização de atitudes de autoritarismo.Durante uma entrevista na rádio Jovem Pan, o …

Carta a uma sociedade Leia mais »

Carta aos desavisados

Caro leitor, Há muito que não escrevo nessa série que tanto me agrada, onde posso, com a clareza dos fatos, explanar minha visão sobre as ocorrências do cotidiano. Esse era para ser um quadro que levasse ao pensamento crítico e democrático, mas vejo, na sociedade, um movimento inverso.Em 1940, os alemães inauguraram, durante ocupação na …

Carta aos desavisados Leia mais »

O genocídio

Como pode o ser humano, com tamanho afinco, tentar a cada dia, enriquecer-se às custas da morte do que o mantém vivo? Qual é o preço de tamanha ganância? As florestas sussurram, e o céu se torna cinza, anunciando dias de desespero. “Interesse na Amazônia não é no índio nem na ***** da árvore, é …

O genocídio Leia mais »

Um sussurro de desespero

Eu sou a Mãe-naturezaque desde o berço te acolhi,dei-lhe o que comer, E o que vestir.Nunca lhe pedi nada em trocaMas, agora, imploroQue todo meu carinhoSeja recíproco.Estou morrendo,Cada dia, sinto-me esvaziandoMinha vida já não é a mesmaMinha flora e fauna estão sofrendoE por mais que eu tente, Sozinha não consigoCom tantos tentando acelerarMeu óbito a …

Um sussurro de desespero Leia mais »

Que mundo é esse?

Que mundo é esse?Não sei como chamar o fenômeno atual da sociedade humana. Já não creio que o mundo líquido, proposto por Zygmunt Bauman ainda se aplique; as pessoas não estão apenas inconstantes, mas também irracionais. O mundo que era líquido, evaporou toda a expressão de cordialidade e humanidade das pessoas.Recentemente, pudemos observar o fenômeno …

Que mundo é esse? Leia mais »

A primavera está chegando

O inverno é necessário para que a primavera venha. Às vezes, pode parecer impossível, mas a primavera sempre vem, Vem renovar esperanças e anunciar um novo tempo a começar. Tudo pode parecer frio e austero, mas tenha fé, As flores voltaram a florescer.

A (des)crença

Ó, quão grande amor pelo pó Por alguém que tanto desvenera. Pobre o homem que não ama Mas ainda assim é amado Que imagens adora, Mas disso não passam: imagens Imagens nada fazem, Nada operam e muito menos Amam, inúteis Ai daqueles que não amam Condenados estão a uma vida Longe do único, que um …

A (des)crença Leia mais »

(Sobre)tudo nada

Envolto no meu mundo  Ativo o mudo  Ligo meu pensamento desnudo  Arranjando palavras, sobretudo  Esquivando do obstáculo pontiagudo  A criatividade no nada, ao invés do tudo 

A mitificação do real

Os seres humanos têm certa dificuldade de lidar com a verdade, verdade essa que as vezes pode ser constrangedora, corrupta ou, simplesmente ir contra aquilo que acreditamos trazer eudaimonia, a felicidade suprema. Desde os primórdios da humanidade utilizamos de mentiras para nos beneficiar, ou a outrem, por quem tenhamos certa simpatia. Tal questão tem sido …

A mitificação do real Leia mais »

Soneto de (in)fidelidade

Por ela bateu forte coraçãoSeu mais novo trevo de quatro folhasMundo pequeno, pequenas escolhasSe entregou ao âmago da paixão Seus verdes olhos entrelaçaramQuando aquela bela moça avistouSua admirável beleza flertouAchegando; unidos, abraçaram Já não sentia mais a antiga dorComo bem-te-vis a cantar, louvouAo Deus criador e encantador Alma livre com coração devassoComprometido por agora estavaNeste …

Soneto de (in)fidelidade Leia mais »

Cúmplice do Universo

Caio acordou, abriu seus olhos azuis turquesa, visualizou as constelações presentes no teto de seu quarto – uma pessoa apaixonada pelo espaço, o mínimo a se esperar, é representar essa paixão por meio da criatividade – levantou-se, ao se ver frente ao espelho do banheiro, imaginou o quanto sua vida poderia ter sido diferente, caso, …

Cúmplice do Universo Leia mais »

Bandeira Branca

Você deve ter visto a palavra “tragédia” esse ano e, realmente, estamos em um momento que essa palavra define tudo muito bem, ou pelo menos a maior parte do que está acontecendo ao redor do mundo. Pessoas no seu mais alto nível de egocentrismo, de falta de humanidade e de barbaridade. Podem existir opiniões variadas …

Bandeira Branca Leia mais »

Pássaros traídos

Com três dias A primavera adiantou-se Em sua alma baldia O sol está mais radiante No seu céu só alegria   Com três semanas O outono chega De sua alma emana Todo seu mana de incertezas Mas tudo vai bem   Com três meses O inverno é rigoroso As folhas caem E a alegria esvai-se …

Pássaros traídos Leia mais »

Terra Querida

No sul das Minas Gerais, uma urbe pacata A estrela da serra, seu brilho sublime libera Terra de rio homônimo, que ao correr para o mar Anseia em voltar, para seu berço ancestral Em suas montanhas, vermelhos frutos, brancas flores A exalar o doce e forte aroma ali encontrado Conterrâneos de minha terra, boa gente …

Terra Querida Leia mais »

A Vida Vivida

Ó meu senhor, Escritor eu não sou Apenas um mero ator Nessa enorme peça Peça tal, ora comédia Ora terror ou suspense Vezes protagonista Outras antagonista De minha própria história História essa, peculiar Cujo nome é a VIDA